Marketplace ou E-commerce Próprio: vantagens & desvantagens

Escolher a melhor opção para o seu negócio online é um passo crucial para o sucesso. Entre as diversas alternativas disponíveis, duas se destacam: o marketplace ou e-commerce próprio. Mas afinal, qual a melhor opção?

Um marketplace é uma plataforma virtual que reúne diversos vendedores, oferecendo uma ampla variedade de produtos em um só lugar. Grandes exemplos são o Mercado Livre, Americanas.com e Amazon.

Por outro lado, o e-commerce próprio é uma loja virtual exclusiva da sua marca. Nele, você tem total controle sobre a experiência do cliente e as estratégias de vendas.

Assim, diante dessas modalidades, é fundamental analisar as vantagens e desvantagens de cada uma. Neste artigo, vamos explorar essas opções e ajudá-lo a tomar uma decisão informada.

Atenção: existem várias plataformas de e-commerce populares, como WooCommerce, Shopify e Magento. Mas neste artigo, vamos focar na comparação entre marketplace e e-commerce próprio em geral, independentemente da plataforma utilizada.

Vamos mergulhar em uma análise detalhada das vantagens e desvantagens de cada modelo, para que você possa tomar uma decisão consciente e estratégica.

O Marketplace

Um marketplace é uma plataforma online que reúne diversos vendedores em um único local, proporcionando aos consumidores uma ampla variedade de produtos e serviços.

São exemplos de marketplace: Mercado Livre, Americanas.com, Shopee, Magazine Luiza e Amazon.

Vantagens do Marketplace:

Alcance de um público maior: Ao vender em um marketplace, você tem acesso a uma base de clientes já estabelecida. Ou seja, você pode alcançar um número maior de potenciais compradores do que em sua própria loja virtual.

Baixo custo inicial: Ao optar por vender em um marketplace, você evita os custos iniciais envolvidos na criação de um e-commerce próprio, como desenvolvimento de plataforma, hospedagem e marketing.

Estrutura já estabelecida para vendas online: Os marketplaces já possuem uma infraestrutura sólida para operações de vendas online. Isso inclui recursos como pagamento, logística e atendimento ao cliente.

Desvantagens do Marketplace:

Pouca personalização da marca: Em um marketplace, a personalização da marca é limitada. Assim, você terá que se adequar às diretrizes e formatos predefinidos pela plataforma, resultando em uma menor diferenciação em relação aos concorrentes.

Competição acirrada com outros vendedores: Nos marketplaces, você estará competindo diretamente com outros vendedores que oferecem produtos semelhantes. Dessa forma, é preciso uma estratégia eficaz para se destacar e conquistar a preferência dos consumidores.

Comissões cobradas pelo marketplace: Os marketplaces geralmente cobram uma porcentagem sobre as vendas realizadas, além de outras taxas, o que pode impactar a sua margem de lucro. É importante avaliar esses custos antes de decidir vender nesse modelo.

Imagem de Hiper. Marketplace Mercado Livre.

Ao considerar o marketplace como opção para o seu negócio, é fundamental ponderar as vantagens e desvantagens.

Para isso, uma dica é levar em conta o perfil da sua empresa e os objetivos que você pretende alcançar.

O E-commerce Próprio

Um e-commerce próprio é uma loja online exclusiva de uma empresa, na qual você ou seu time é responsável por toda a operação, desde a criação da plataforma até o atendimento ao cliente.

Exemplos de empresas que optaram por essa modalidade são Natura, Netshoes, Zara e Maria. Alguns e-commerces, inclusive, liberam espaço para outros vendedores usarem a plataforma como marketplace, o que torna um site “misto”.

Vantagens do E-commerce próprio:

Maior controle sobre a marca e a experiência do cliente: Ao possuir um e-commerce próprio, você tem total controle sobre a identidade visual, a comunicação e a experiência que deseja proporcionar aos clientes, garantindo uma representação fiel da sua marca.

Flexibilidade para personalizar a loja online: Diferentemente dos marketplaces, um e-commerce próprio permite maior flexibilidade para personalizar a aparência. Isso inclui tanto a navegação quanto as funcionalidades da loja, de acordo com as necessidades e preferências da empresa.

Possibilidade de criar um relacionamento mais próximo com o cliente: Com um e-commerce próprio, você pode estabelecer um relacionamento direto com seus clientes. Assim, conhecendo suas preferências, pode enviar comunicações personalizadas, oferecendo um atendimento mais próximo e individualizado.

Desvantagens do E-commerce próprio:

Custo inicial mais elevado: Ao optar por um e-commerce próprio, é necessário realizar investimentos iniciais em desenvolvimento de plataforma, hospedagem, segurança, marketing e logística. Tudo isso pode representar um desafio financeiro para algumas empresas.

Necessidade de investir em tecnologia e segurança: Manter um e-commerce próprio requer investimentos constantes em tecnologia, atualizações de segurança e proteção de dados dos clientes, o que demanda recursos e expertise específicos.

Dificuldade em atrair tráfego para a loja online: Diferentemente dos marketplaces, onde o tráfego já existe, um e-commerce próprio precisa desenvolver estratégias eficazes de marketing digital para atrair visitantes para a loja e converter vendas.

marketplace ou e-commerce próprio

Assim, ao considerar um e-commerce próprio, considere a capacidade financeira, a expertise tecnológica e o objetivo estratégico da empresa.

Como escolher a melhor opção?

Ao avaliar se você precisa de um marketplace ou e-commerce próprio, é importante levar em conta as necessidades específicas do seu negócio.

Além de analisar os prós e contras de cada modelo, os custos envolvidos e o retorno esperado também precisa entrar no cálculo para a decisão.

Se a sua empresa está apenas começando a vender online, um marketplace pode ser uma opção atraente devido ao baixo custo inicial e ao alcance de um público maior. Empresas como Amazon, Mercado Livre e Submarino são exemplos que utilizam a opção do marketplace.

No entanto, é preciso lembrar que a marca terá pouca personalização e competirá com outros vendedores, além de ter que lidar com as comissões cobradas pela plataforma.

Nesse sentido, um e-commerce próprio oferece maior controle sobre a marca e a experiência do cliente, além da flexibilidade para personalizar a loja online. Não por acaso, empresas como Zara e Natura utilizam essa opção.

Entretanto, o custo inicial é mais elevado e há a necessidade de investir em tecnologia e segurança. Além disso, pode haver alguma dificuldade em atrair tráfego para a loja online.

Então, qual escolher?

Não existe uma resposta definitiva. Observe suas condições atuais e pense a longo prazo no que é mais proveitoso para a sua empresa. Tudo depende das necessidades específicas da sua empresa.

E uma dica para quem optar por e-commerce próprio: uma boa opção de plataforma para essa atividade é o WooCommerce.

O WooCommerce é uma extensão do WordPress gratuita. Ou seja, você não terá custos diretamente com ele, apenas com outras pontas da estrutura de um site em si (como o domínio e uma boa hospedagem).

Na Pixel Perfect, fazemos e-commerces completos utilizando o WooCommerce. Isso nos permite um alto grau de personalização e seu uso é bem simples e intuitivo!

Marketplace ou e-commerce próprio?

A decisão de escolher entre um marketplace ou e-commerce próprio é uma escolha importante para qualquer empresa que queira vender seus produtos online.

Em resumo, ambas as opções apresentam vantagens e desvantagens. A decisão final dependerá das necessidades e objetivos de cada negócio.

Antes de tomar uma decisão, avalie cuidadosamente suas necessidades, os prós e contras de cada modelo, os custos envolvidos e o retorno esperado.

E, a partir do momento que você tomar uma decisão, se esforce para oferecer a melhor experiência possível para os seus clientes!

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Precisa de um site?

Vamos conversar!